terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Unguento derramado (ii)

“… unguento derramado é o Teu nome” (Ct 1:3).

O unguento derramado difere do unguento guardado num frasco não só pela influência que exerce em todos ao redor, mas também pela maneira como ele se revela plenamente. Você pode dizer que um perfume barato é dos melhores do mundo, e enquanto ele ficar guardado no frasco você pode enganar muitas pessoas. Mas na hora em que o frasco for aberto, o perfume será conhecido como ele realmente é — sem mentiras, sem fingimento, sem hipocrisia.

Nosso Senhor Jesus Cristo veio ao mundo para nos revelar a verdadeira fragrância da divindade, e Deus teve prazer em revelá-lO em toda a Sua perfeição. Enfrentando Satanás na tentação no deserto, respondendo aos líderes religiosos hipócritas, pregando para a multidão ingrata, ou assistindo em silêncio ao julgamento injusto das autoridades políticas — em qualquer circunstância, não havia nenhum defeito nEle que Deus precisava esconder. É como se Deus dissesse aos homens e aos demônios: “Eis o Meu Filho amado, habitando na Terra entre os homens. Examine-O. Prove-O. Analise de todos os ângulos. Não há defeito algum nEle!”

Com que confiança o Altíssimo derramou o Seu unguento na Terra! Ele sabia que a fragrância perfeita da divindade traria honra e glória ao Seu nome. Que possamos apreciar hoje, mais uma vez, o perfume maravilhoso da santidade e pureza absoluta do Filho de Deus.

© W. J. Watterson

Postar um comentário